INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS DE JESUS (Parte V) 15/12/2002

1 – INTERNET: O QUE FALAR PARA QUEM NÃO QUER OUVIR?

2 -  ALGUMAS BELAS PASSAGENS BIBLICAS

3 – UM BELO TEXTO DE PADRE ZEZINHO

 

1 - INTERNET: O QUE FALAR PARA QUEM NÃO QUER OUVIR?

"Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos? Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má, bons frutos. Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo. Pelos seus frutos os conhecereis." (Mt 7,15-20)

"Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." (Jo 13,35)

 

Amados irmãos e irmãs, estejam convosco a graça e a paz!

 

Eis que se aproxima a noite da Grande Luz! Jesus poderia ter nascido de dia, mas até o proprio fato de nascer de noite tem um profundo significado. Ele veio iluminar a humanidade que vivia nas trevas do pecado e ser ele mesmo o Caminho para o Pai; festejemos, pois, este Natal com uma oração ao Senhor para que ele nos liberte de toda treva e faça resplandecer em nosso coração a sua luz.

 

Gostaria de conversar hoje sobre a postura do internauta cristão nas salas de bate-papo (chat's) de nossa tão rica e conturbada internet; tenho visto pessoas muito boas perdendo a paciência diante de tantas outras que não sabem fazer um bom uso e ainda mais procuram perturbar as demais.

 

Falarei apenas dos chat's que contém salas católicas que conheço melhor (Canção Nova, Papo catolico, Terra e Uol); foi em algum desses que conheci a muitos de vós e agradeço a Deus por isso...

 

Passemos a alguns assuntos bem "concretos": o que podemos fazer quando entramos no chat? Como podemos começar um diálogo? E o que podemos fazer quando estamos no chat e aparecem pessoas que não estão dispostas a construir uma amizade cristã ou procurar ajuda para algum problema seu, mas em vez disso, bombardeiam nossa tela com acusações contra nossa Igreja, ofensas contra nossa fé, palavrões, pornografias e tantas outras asneiras? O que podemos dizer, como cristãos, a essas pessoas? O que dizer quando nos chamam de idólatras e pedem provas de nossa fé?

 

Reflitamos por partes; ao entrar no chat certamente queremos conversar com alguém; seja para fazer amizades, oferecer ajuda a quem tem dúvidas, pedir ajuda também, falar sobre algum tema do nosso interesse, encontrar uma pessoa amiga com quem marcamos para falar. Entramos numa sala católica e somos nós também católicos: é natural que saudemos de forma cristã as pessoas que "ali" estão e se temos algum material (versículos bíblicos, pensamentos, frase de santos) ajuda-nos a "puxar" a conversa com os que já estão conversando. Das muitas vezes em que já comecei assim, sempre apareceu alguém agradecendo ou comentando algum versículo ou pensamento e o diálogo começou por aí. Devemos ter o cuidado porém de não enviar texto em excesso pois isso sobrecarrega a sala e também aborrece... Outra coisa que podemos fazer é procurar saudar as pessoas que entram; elas se sentirão acolhidas e se estão afim de conversar o caminho já está feito... Cuidado, porém, para não fazer como eu nos meus primeiros dias de internet: procurava saudar a todos; muitos me respondiam; eu não conseguia conversar com todos ao mesmo tempo e acabava deixando alguns sem atenção (talvez a quem eu mais devia dedicar-me). O bom, penso, é manter uma conversa edificante com 2 ou 3, trocar e-mail e escrever depois mais tanquilamente. Quanto à forma "reservada" ou "pública", penso que aquilo que pode edificar a todos deve ser dito em público porém se alguém nos pede um conselho sobre um assunto muito particular, devemos conversar de forma reservada, assim como dar e-mail (para que terceiros não o peguem); devemos também orientar nossos amigos para que não exponham seus problemas mais íntimos e, abertos, pricipalmente quando a sala está cheia e vemos que muitas pessoas não levam a coisa a sério.

 

Quanto aqueles que importunam na sala, devemos em primeiro lugar identificar com que tipo de pessoa estamos a teclar: dos que derramam palavrões, pornografias e ofensas violentas contra a fé e os bons costumes não devemos nem ao menos argumentar; vejo que bons cristãos tentam mostrar que eles estão errados e acabam criando uma guerra na sala... também os bons perdem a paciência e é exatamente isto que os outros querem: chamar atenção e acabar com a ordem e a paz da sala.

 

Alguns se apresentam como "evangélicos" mas logo se revelam como os primeiros e aí podemos, seguindo as palavras de Jesus, identificar a árvore pelos frutos que ela produz. Como pode alguém que se diz seguidor de Cristo, em poucas palavras derramar tanto ódio e no melhor dos casos, tanta falta de respeito por quem pensa diferente! Se a sala é para católicos, quem entra ali deveria ter um mínimo de bom senso e respeito por estes. Hoje mesmo (14/12) estava um "irmão" no chat da CN divulgando notícias sobre pedofilia e desenvolvendo um longo "argumento" sobre o celibato (contrário, é claro). Será isto que ele entende como missão e evangelização? Onde é que estava o amor que ele deveria manifestar para que pudéssemos identificá-lo como um verdadeiro discípulo de Jesus? Ele dizia: "reflita comigo", mas não estava fezendo uma reflexão e sim uma imposição de opiniões particulares sem que ninguém tivesse pedido tal coisa... Alguns católicos começaram a contra-atacar e ele insistiu mais fortemente com suas """""verdades""""", conseguindo o que realmente queria: atenção.

 

Para os dois tipos de pessoas acima citadas, o que podemos fazer é nada fazer; se ninguém respondesse a suas provocações em pouco tempo elas veriam a inutilidade de sua insistência e desistiriam, indo procurar outra sala onde alguém "desse ouvidos" e respondesse. Um outro dia entrei numa sala e alguém estava ali com um nome (nick) propositalmente provocante; quase todas as pessoas dirigiam a palavra para ela, pedindo por sua conversão, mandando sair da sala, que criasse vergonha e assim por diante, chegando mesmo a chamá-la por nomes que um cristão nem emsmo deveria pronunciar... Era exatamente isso que ela queria: tinha a atenção de todos e não parava de dizer bobagens para todos que a interpelavam... por fim até memso uma pessoa que se dizia funcionária do chat pediu para ela sair, disse que não estava conseguindo tirá-la da sala e pediu publicamente que ninguém falasse com ela... Não deu certo, estava tudo de mal a pior... Sem dirigir-me a ela e falando particularmente a cada pessoa que dirigia a ela a palavra, fui explicando quais eram seus planos e pedindo que não respondesse às suas provocações e nem mesmo lhe dirigisse a palavra... Tive muito trabalho pois novas pessoas entravam e ao primeiro contato com ela eu tinha que repetir tudo... Deu certo! Quando ninguém mais lhe dirigiu a palvra ela começou a disparar insultos gratuitos para uns e para outros... e eu particularmente escrevia a cada um: "por favor, não responda". Alguns respondiam; ela se animava e começava tudo de novo. Eu escrevia: "tá vendo! Era isso que ela queria..." Finalmente, quando ninguém mais lhe respondeu ela insistiu mais um pouco e depois foi embora... Se todos ja pensassem assim, ela nem teria começado. Bastava lembrar o ditado que ja diziam nossas avós: "quando um não quer, dois não brigam."

 

Coisa muito diferente acontece quando encontramos uma pessoa que realmente tem dúvida e o nosso auxílio pode reconduzi-la à luz... A cada dia encontro novos testemunhos do grande bem que pode fazer o reto uso da internet para o anúncio e o testemunho cristão. Espero que todos leiam os documentos "ética na internet" e "a Igreja e a internet"; as pessoas que merecem provas da nossa fé são aquelas que realmente as querem ouvir; de que adianta apresentarmos argumentos para quem já está amarrado em suas convicções e seu único objetivo é provar o contrário? Tenho alguns amigos entre não-católicos mas existe uma contradição na conduta de uma parte destes: conversamos tranquilamente quando estamos juntos sem que nenhum tenha que negar nada da sua fé porém quando estão com ourtos irmãos católicos, agem exatamente como antes...

 

"Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." (Jo 13,35)

 

Assim sendo, procuremos com afinco amar verdadeiramente a todos para que o amor de Jesus brilhe em nós e possamos ser considerados seus discípulos; espero algum comentário vosso, assim como peço e ofereço oração.

 

Um Santo Natale abençoado Ano Novo para todos.

 

2 - ALGUMAS BELAS PASSAGENS BIBLICAS

Ofereço-vos textos bíblicos das Vésperas do tempo do Advento e da oitava de Natal:

 

"O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo! Fiel é aquele que vos chama, e o cumprirá." (1Tes 5,23-24)

 

"Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! Seja conhecida de todos os homens a vossa bondade. O Senhor está próximo." (Fl 4,4-5)

 

"Nós, porém, somos cidadãos dos céus. É de lá que ansiosamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará nosso mísero corpo, tornando-o semelhante ao seu corpo glorioso, em virtude do poder que tem de sujeitar a si toda criatura." (Fl 3,20-21)

 

"Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum. Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor." (1Cor 1,7-9)

 

"Não julgueis antes do tempo; esperai que venha o Senhor. Ele porá às claras o que se acha escondido nas trevas. Ele manifestará as intenções dos corações. Então cada um receberá de Deus o louvor que merece." (1Cor 4,5)

 

"Tende, pois, paciência, meus irmãos, até a vinda do Senhor. Vede o lavrador: ele aguarda o precioso fruto da terra e tem paciência até receber a chuva do outono e a da primavera. Tende também vós paciência e fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima." (Tg 5,7-8)

 

"Um dia diante do Senhor é como mil anos, e mil anos como, um dia. O Senhor não retarda o cumprimento de sua promessa, como alguns pensam, mas usa da paciência para convosco. Não quer que alguém pereça; ao contrário, quer que todos se arrependam." (2Pd 3,8b-9)

 

"Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção." (Gl 4,4-5)

 

"O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado e as nossas mãos têm apalpado no tocante ao Verbo da vida - porque a vida se manifestou, e nós a temos visto; damos testemunho e vos anunciamos a vida eterna, que estava no Pai e que se nos manifestou -, o que vimos e ouvimos nós vos anunciamos, para que também vós tenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo." (1Jo 1,1-3)

 

"Vós conheceis a bondade de nosso Senhor Jesus Cristo. Sendo rico, se fez pobre por vós, a fim de vos enriquecer por sua pobreza." (2Cor 8,9)

 

"Sendo ele (Cristo) de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens." (Fl 2,6-7)

 

"Deus é luz e nele não há treva alguma. Se dizemos ter comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não seguimos a verdade. Se, porém, andamos na luz como ele mesmo está na luz, temos comunhão recíproca uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado." (1Jo 1,5b-7)

 

"Enviando, por causa do pecado, o seu próprio Filho numa carne semelhante à do pecado, condenou o pecado na carne, a fim de que a justiça, prescrita pela lei, fosse realizada em nós, que vivemos não segundo a carne, mas segundo o espírito." (Rm 8,3b-4)

 

"Éramos como os outros, por natureza, verdadeiros objetos da ira (divina). Mas Deus, que é rico em misericórdia, impulsionado pelo grande amor com que nos amou, quando estávamos mortos em conseqüência de nossos pecados, deu-nos a vida juntamente com Cristo - é por graça que fostes salvos!" (Ef 2,3b-5)

 

"O poder divino deu-nos tudo o que contribui para a vida e a piedade, fazendo-nos conhecer aquele que nos chamou por sua glória e sua virtude. Por elas, temos entrado na posse das maiores e mais preciosas promessas, a fim de tornar-vos por este meio participantes da natureza divina, subtraindo-vos à corrupção que a concupiscência gerou no mundo." (2Pd 1,3-4)

 

3 - UM TEXTO DE Pe. ZEZINHO

Não se troca de mãe!    

Não troquei de mãe quando ela ficou doente; não troco de Igreja quando ela sofre alguma crise.

Um amigo meu de longa data, recentemente mudou de religião. Entre seus argumentos, citou o fato de que a Igreja católica esta perdendo adeptos e o pentecostalismo está crescendo. Segundo ele, o cristianismo vai acabar e o novo milênio será do Espírito Santo. Não quis ficar numa religião que está agonizando.

Brinquei dizendo que ele estava abandonando o navio enorme da Igreja Católica, que ele imagina que está afundando e, por isso, embarcou num navio pequeno, que acha que vai ser o navio do milênio.

Em resumo: tem certeza que o grande navio dos outros afundará, mas o pequeno navio da sua nova Igreja não vai afundar. Acrescentei que durante os 20 séculos de existência do Cristianismo e pelo menos os 17 séculos da Igreja no poder em Roma, viram passar mais de duas mil religiões e seitas com esta mesma conversa.

Elas estavam crescendo e seriam as religiões do novo tempo. Duraram 20 a 200 anos e acabaram. A Igreja que eles declararam moribunda, bem ou mal, está aí com quase um bilhão de adeptos. O nazismo que ia conquistar o mundo, não durou 15 anos; o comunismo não durou 70 e outros “ísmos” também acabaram depressa.

Olhou-me cheio de convicção e disse: “Mas nós temos o Espírito Santo!”. Respondi-lhe que se era por isso, minha Igreja além do Espírito Santo, tinha Jesus e o Pai, de quem procede o Espírito Santo. Por isso, eu acreditava e acredito que, mesmo com um rombo no casco, minha Igreja não vai afundar.

Desejei-lhe boa sorte neste novo navio, porque eu estava seguro e feliz na minha enorme e antiga Igreja, cheia de problemas, mas linda e maravilhosa. Não troquei de mãe quando ela ficou doente; não troco de Igreja quando ela sofre alguma crise.

Não se troca de mãe e de Igreja por nenhum discurso ou promessa de sucesso, prosperidade, vitória ou garantia de céu. Minha Igreja tem um milagre diário que se chama Eucaristia e eu não a troco por nenhum milagre do mundo.

Continuamos bons amigos, mas alguma coisa deve tê-lo incomodado. Enviou-me pelo correio uma profecia de sua nova Igreja. Agradeci, enviando-lhe um Catecismo Católico.

Sei que ele acha que está certo. Para não perder a batuta, ele também sabe que eu acho que estou certo. Almoçarei, jantarei junto e até trocarei idéias, mas de Igreja eu não troco.

Comigo, milhões de católicos que pensam como eu penso. Foram evangelizados! Sabem o que é ter uma fé e uma Igreja. Quem não sabe, muda!
Pe. Zezinho, scj